Manhã de ontem, de hoje

É a chuva sobre o mar.
Na janela aberta,
contemplando, encostas
a face no vidro.

Imagem de alguns segundos,
parado em contraluz,
teu corpo distinto, ainda
da noite despido.

E viras-te para mim,
a sorrir. Eu penso
em como o tempo passou
e recordo-te assim.


Jaime Gil de Biedma
Tradução A.M.

1 comentário:

lugar disse...

muito bom "isto", albino.

desconhecia. obrigado.