trecho da praia

Como por um ralo atrás da pupila,
vêem-se agir:
nada divide o caranguejo, dividindo
os lodos em seu sulco,
e também suas pinças se amotinam
à passagem, com sombra,
duma ave marinha...

E antes da chegada ascendente do mar,
ou que alguém module a voz
pela que da nuvem soou
no paraíso, amam-se na areia.
Enquanto do largo
o halo dum navio nocturno
se expande e irisa em seu redor.

Sebastião Alba
A noite dividida
Assírio & Alvim, 1996

2 comentários:

bruno sousa villar disse...

Obrigado por postares o meu poema preferido do livro.

Abraço

José S. disse...

Profundamente bonito.