em torno de um título
de maria archer


Devia haver uma lei
um qualquer decreto ou norma
que nos impedisse o rigor dos afectos
o cataclismo dos desejos

Devia haver um céu
com nuvens de arame-farpado
onde estiletes vigilantes
pronto trespassassem
todo o peito que o sonho insiste

Talvez – quem sabe? – até
se pudesse criar uma ilha
cercada de vidros e circuitos eléctricos
para onde se desterravam
os obstinados das paixões
os insurrectos da fantasia

Devia era haver qualquer coisa
contra esta tortura de ouro e maravilha
que nas margens do tempo insiste
e em barcos que ninguém vê
aos poucos nos desencaminha


Victor Oliveira Mateus
A Noite e a Voz
Universitária Editora, 1999

2 comentários:

bruno sousa villar disse...

Por este e pelo outro mais abaixo, sem citar um punhado lido noutras latitudes da "blablablabosfera",
acompanharei mais atento o percurso
deste poeta.

Victor Oliveira Mateus disse...

Agradeço-vos a "recuperação" e
publicação de um texto bastante
antigo já.

(P.S. O texto "mais abaixo" é de
autoria do Prof. Vitor Oliveira
Jorge, mas a confusão entre ambos
é habitual...)