Ao nascimento de um filho

Su Tung-p'o, 1036 - 1101

As famílias quando lhes nasce um filho,
Desejam-no inteligente.
Eu, que pela inteligência
Arruinei toda a minha vida,
Só tenho a esperança de que o meu filho
Venha a sair
Ignorante e tardo no pensar.
Então terá ele vida tranquila
Como ministro no Gabinete.



Bertolt Brecht
Poemas
Asa, 2007
Tradução de Paulo Quintela

1 comentário:

ParadoXos disse...

é poema, é poesia para ter...