Trinta

Hoje aconteceu-me mais um cabelo branco
(não sei se tinha dado com este:)
fica
mesmo ao lado da risca entre os
vinte e nove
e os trinta. O
dia de amanhã já existe ora
(a hora nas agendas)
lembra uma camisa limpa que
drapeja ao secar
(cada dia que me aceita
propõe
novo recomeço).
Todos temos uma alma gémea
frente ao espelho
tinha feito 15 anos
(hoje acatei outro quinze)
foi sempre no gesso da idade
que assinei
o poema.


João Luís Barreto Guimarães

Rés-do-Chão
Gótica, 2000

1 comentário:

alice disse...

há uns anos tive a sorte de assitir a um colóquio, cuja mesa era composta por vários escritores, entre eles o manuel antónio pina, o pedro mexia e o joão luís barreto guimarães. um dos pontos mais agradáveis da sessão foi quando este último anunciou que ia dizer um poema de sua autoria chamado "esqueci-me". fez-se silêncio para ou ouvir o poema e ele disse "esqueci-me da escova dos dentes virada ao contrário". e batemos palmas...