o tempo vive

O tempo vive, quando os homens, nele,
se esquecem de si mesmos,
ficando, embora, a contemplar o estreme
reduto de estar sendo.
O tempo vive a refrescar a sede
dos animais e do vento,
quando a estrutura estremece
a dura escuridão que, desde dentro,
irrompe. E fica com o uivo agreste
espantando o seu estrondo de silêncio.



Fernando Echevarría
Sobre os Mortos
Afrontamento/Poesia, 1991

2 comentários:

ARCANO disse...

Sua intensidade me fascina.

Gisela Rosa disse...

"O tempo vive a refrescar a sede
dos animais e do vento"

belo poema