Fogo Sobre Fogo

Tanto me seduz a contemplação do arco-íris numa gota de água, como
ser arrastado por um rio caudaloso. Em vez de uma gota de água ou
de um rio poderia falar de Matsuo Bashõ ou Walt Whitman...

Um rio caudaloso pode deixar-nos indiferentes à sua passagem...Uma
gota de água pode pelo contrário submergir-nos completamente.

Os poemas que se seguem pretendem aproximar-se da simplicidade (ilu-
sória) de uma gota de água. Interrogo-me, por vezes, quantas palavras
poderá conter uma gota de água? Não sei, embora tenha a sensação
que, em determinadas circunstâncias, nem uma palavra comporta.

Por último, um lamento : que estes poemas não possam chegar ao leitor
da forma mais apropriada: ou seja, em folhas de trevo.

1

O meu mamilo
no teu
mamilo

2

Só tu
sabes sorrir
na vertical

3

Vou ao céu
E venho-
me



Jorge Sousa Braga
O Poeta Nu
Assírio & Alvim

3 comentários:

bruno sousa villar disse...

Não é um poema. São vários, haikus para ser rigoroso. O livro onde estes se acham chama-se precisamente
" Fogo sobre Fogo " e integra a antologia " O Poeta Nu ", Poesia reunida do Jorge Sousa Braga, do qual foi excluído " Herbário".
O Jorge traduziu muitos poetas orientais, como Bashõ, Li Po, etc...

Beijo

Susana A. disse...

este poema é fogo sobre água

Susana A. disse...

hum... certo

desculpa ter eliminado o comentário acima mas fizeram-me uma observação ortográfica que fiz questão de emendar.

beijo