porco trágico I

conheço um poeta
que diz que não sabe se a fome dos outros
é fome de comer
ou se é só fome de sobremesa alheia.

a mim o que me espanta
não é a sua ignorância:
pois estou habituado a que os poetas saibam muito
de si
e pouco ou nada dos outros.

o que me espanta
é a distinção que ele faz:
como se a fome da sobremesa alheia
não fosse
fome de comer
também.


Alberto Pimenta
Obra Quase Incompleta
Fenda, 1990

3 comentários:

Luís Filipe Nunes disse...

Ao actor Infante, com muito amor.

Albino M. disse...

Luís, (o) que se passa?

Luís Filipe Nunes disse...

Não se passa nada, caro amigo. Hoje é um dia verdadeiramente verdadeiro: é tudo mentira.

Abraço.