Sobre o amor

No intervalo entre duas garrafas, ele colocou uma terceira
Garrafa, e assim sucessivamente
Até fazer uma garrafeira. O espaço entre duas partículas
Da Física não é tão entusiasmante como o espaço
Que existe algures no teu decote;
daí que a parte da cidade interessada no erotismo
tenha abandonado todos os estudos
Que se referem a partículas mínimas e outras
Preciosidades. Medidas discretas tem o ar,
Que não se vê, e o Nada, que não existe. Robustez, é preciso;
Em cima da semente minúscula que se construa um edifício
Alto ou pelo menos uma laranjeira.
Vejamos: o que é o amor? O amor depois de aberto ao meio
É um. E mais não sei sobre essa
Mentira.

Gonçalo M. Tavares
1
Relógio D'Água, 2004

4 comentários:

luís nunes disse...

muito bom. tenho de comprar o livro.

Gisela Rosa disse...

Gostei muito!

bruno sousa villar disse...

Ciência lírica ou lirismo científico?
Eis a questão.
Evidentemente que gostei muito.

Liliana Jasmim disse...

Também eu gosto muito deste autor.

traz-nos filosofia por entre as palavras.