Mapa

I

O poeta
[o cartógrafo?]
observa
as suas
ilhas caligráficas
cercadas
por um mar
sem marés,
arquipélago
a que falta vento,
fauna, flora,
e o hálito húmido
da espuma,

II

pensando
que
talvez alguma
ave errante
traga à solidão
do mapa,
aos recifes desertos,
um frémito,
um voo,
se for possível
voar
sobre tanta
aridez.



Carlos de Oliveira
A Leve Têmpera do Vento
Quasi Edições

2 comentários:

Ca:mila disse...

o sol também castiga.

Ca:mila disse...

de várias formas.