persiana

Trespassa, furtiva, as persianas do quarto,
vem sondar o leito escuro da casa
no halo dos faróis que revela
a silhueta dos móveis,
e leva o sono contigo,
o sono teu inimigo,
aquele que parecia chegar
a cada silêncio na estrada.

Trespassa, furtiva, as persianas do quarto,
venho contando os carros lá fora,
a insónia é um estado apetecido
e transpirado:
se o sono vier, promete,
farás o possível
por mantê-lo afastado.



Rui Lage

Revólver
Quasi Edições, 2006

2 comentários:

bruno sousa villar disse...

Excelente estreia, recém-mal-situado.
Abraço e bem-vindo à equipa.

José S. disse...

Equipa, obrigado pelo convite.